segunda-feira, 29 de abril de 2013

NTE de Naviraí realiza curso de edição de vídeos


Nos dias 24, 25 e 26 de abril, o NTE – Núcleo de Tecnologia de Educação de Naviraí realizou um curso de edição de vídeos para os PROGETEC-Professores Gerenciadores das Tecnologias Educacionais das redes estadual e municipal de ensino. O curso, preparado e ministrado pelo professor Carlos Stabenow, da rede municipal, além de objetivar a capacitação dos PROGETEC, pretende que estes multipliquem o que aprenderam em suas respectivas escolas.
Todo o conteúdo do curso teve como foco os trabalhos que serão realizados no projeto “Jubileu de Ouro de Naviraí”, idealizado pelas multiplicadoras Nelci Hasper e Cleusa Sarturi.
Este projeto vem sendo trabalhado em todas as escolas estaduais e municipais de Naviraí, sob a orientação dos demais multiplicadores do NTE, sendo que cada escola desenvolve o assunto com o qual foi sorteada.
Este curso, de 20h, encerrou a etapa de oficinas/cursos dentro do projeto “Jubileu de Ouro de Naviraí”. Daqui para frente, os trabalhos serão desenvolvidos dentro do ambiente escolar, mas sempre com a orientação da equipe do NTE de Naviraí.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Professora Marliete - Resgata uma antiga brincadeira na aula de Língua Portuguesa




A professora do 3º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Antonio Fernandes, de Naviraí, desenvolveu com as crianças uma das atividades propostas no livro de Língua Portuguesa, do Programa Além das Palavras. Com o auxílio de tampas de garrafa, martelo e fósforo, os estudantes produziram “piorrinha de tampinha”, que depois foram utilizados em grande brincadeira, com todo mundo tentando fazê-los girar com a ponta dos dedos.http://www.sed.ms.gov.br/index.php?templat=vis&site=98&id_comp=213&id_reg=202206&voltar=home&site_reg=98&id_comp_orig=213

terça-feira, 9 de abril de 2013

Capacitação sobre o Uso dos Recursos Tecnológicos e Midiádicos no Cotidiano da Escola.

Diretora Maria de Fátima  e Coordenadores Pedagogicos.
Professoras de 1º ao 5º ano
Professores de Educação Fisica,Espanhol e Português.
Professoras de 1º ao 5º ano
Professores de Geografia e História.
Professoras de Ciêcias e Biologia.


segunda-feira, 8 de abril de 2013

NTE realiza oficina de Fotografia como uma das ações do Projeto Jubileu de Ouro de Naviraí





Aconteceu nos dias 22 e 25/03, no NTE de Naviraí, a primeira, de uma série de oficinas que são parte integrante do projeto “Jubileu de Ouro de Naviraí”.
Na ocasião, professores gerenciadores, coordenadores pedagógicos das redes municipal e estadual contaram com o brilhante trabalho realizado pela fotógrafa Gilma Sandra. No primeiro dia ela falou sobre a história da fotografia, técnicas para fotografar, ângulo, luz, distância entre outros. No segundo dia, foi realizada a prática, onde os cursistas puderam fotografar orientados pela fotógrafa que, depois pôde avaliar o aprendizado de cada um, bem como as funções das diversas câmeras trazidas pelos participantes.     

Entendendo o Projeto
O projeto tem como proposta, no ano em que se comemoram os 50 anos de emancipação político-administrativa de Naviraí, levar a comunidade escolar a resgatar e a registrar, em vídeo e em outros acervos, a história do município,  por meio de atividades pedagógicas, utilizando-se dos recursos tecnológicos e midiáticos, como celular e facebook, de forma integrada aos conteúdos curriculares.  

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Matrícula de crianças a partir de quatro anos será obrigatória em 2016

Matrícula de crianças a partir de quatro anos será obrigatória em 2016

Sexta-feira, 05 de abril de 2013 - 18:41
A partir de 2016, as crianças deverão ser matriculadas na educação básica a partir dos quatro anos de idade. Para atender a essa obrigatoriedade de pais e responsáveis, as redes municipais e estaduais deverão se adequar, dentro do mesmo prazo, para acolher alunos de quatro a 17 anos. O fornecimento de transporte, alimentação e material didático também será estendido a todas as etapas da educação básica.

Essas mudanças são determinadas pela Lei 12.796, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 5. Essa lei ajusta a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) à emenda constitucional 59, de 11 de novembro de 2009, que tornou obrigatória a oferta gratuita de educação básica a partir dos quatro anos.

A lei 12.796 também estabelece que a educação infantil, que contemplará crianças de quatro e cinco anos na pré-escola, será organizada com carga horária mínima anual de 800 horas, distribuída por no mínimo 200 dias letivos. O atendimento à criança deve ser, no mínimo, de quatro horas diárias para o turno parcial e de sete para a jornada integral. Isto já valia para o ensino fundamental e o ensino médio.

Outras mudanças – As alterações nos artigos da LDB também englobam educação especial. De acordo com a lei 12.796, entende-se por educação especial a modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação.

O texto da lei também garante que “o poder público adotará, como alternativa preferencial, a ampliação do atendimento aos educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação na própria rede pública”.

Houve também a inclusão no texto da LDB de “consideração com a diversidade étnico-racial” entre as bases nas quais o ensino será baseado.

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: educação básica, educação infantil, pré-escola, LDB, Lei 12.796
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=18563

quarta-feira, 3 de abril de 2013

PROJETO "ALÉM DAS PALAVRAS"

As coordenadoras de área de Língua Portuguesa (Glauce Mazlom) e Matemática (Jackeline Cerri) reuniram com as professoras regentes do 1º ao 5º do Ensino Fundamental para repassar orientações sobre o Programa Além das Palavras enviadas pela Secretaria Estadual de Educação-SED. Nesta reunião contou-se com a presença da diretora (Maria de Fátima da Silveira) e a Coordenadora Pedagógica (Luzia Bianchi). As coordenadoras e direção agradecem a presença das professoras que realizam um excelente trabalho na alfabetização nesta escola.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Uso do uniforme proporciona segurança e identidade aos estudantes da Rede Estadual



Notícias  
 
Uso do uniforme proporciona segurança e identidade aos estudantes da Rede Estadual



2/04/2013 | Emilia Sbrocco Dorsa



O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação, distribui gratuitamente, no início do ano letivo, duas camisetas para cada um dos cerca de 300 mil estudantes da Rede Estadual de Ensino. Desde que a entrega começou, em 2009, já foram distribuídas mais de 3 milhões de uniformes. Só este ano foram 600 mil camisetas entregues nas 362 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul.
Além de proporcionar mais segurança aos estudantes, que são facilmente identificados como alunos da Rede Estadual, o uniforme cria um sentimento de pertencimento de grupo e proporciona um ambiente de igualdade, em que modelos ou estampas de roupas não dividem a atenção dos estudantes com o conteúdo das matérias. “O uniforme traz segurança, especialmente para os estudantes do período noturno, representa economia para as famílias e ainda proporciona a igualdade no ambiente escolar”, destaca a secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa.

A diretora da EE Padre José Scampini, Raimunda Farias, a Branca, explica que faz questão do uso do uniforme para que os estudantes se sintam iguais. “Trabalhamos projetos sobre preconceitos e níveis sociais. Aqui os estudantes vão encontrar a paz e os pais ainda podem usar o dinheiro do uniforme para comprar um tênis ou uma bermuda, por exemplo”, explica. De acordo com a diretora da EE Teotônio Vilela, Nicolassa Marina Maldonado Leite, “o uniforme, além de ajudar as famílias, nos ajuda diferenciando e reconhecendo nossos alunos, trazendo mais segurança para dentro da escola”.
“Nem todo mundo pode usar uma roupa por dia, receber o uniforme é de grande ajuda”, diz Gabriel Porto, estudante do 2º ano do ensino médio da EE Blanche dos Santos Pereira. “O uniforme tem que ser usado mesmo. Ele identifica as crianças e ainda significa economia para nós”, conta Andréa Velasquez, mãe de dois estudantes da mesma escola. Para criar um uniforme adequado ao clima de Mato Grosso do Sul, que atenda a diferentes faixas-etárias e que alie conforto e durabilidade, as camisetas são produzidas com malha fria, um tecido fresco, fácil de lavar, de secagem rápida, que retém bem as cores e praticamente não amassa.

Aparecido J. Ferreira, pai do estudante Luiz Gustavo, do 4º ano do ensino fundamental da EE Teotônio Vilela, acredita que o uso do uniforme é essencial. “Além de identificar os alunos, as camisetas iguais evitam o bullying e os pais não gastam com roupa para os filhos virem à escola, fora que essa camiseta é muito fácil de lavar”, ressalta. Na EE Dona Consuelo Muller, o uso do uniforme é obrigatório. “Nem que tenhamos que emprestar uma camiseta para aqueles alunos que esquecem. É segurança para eles na escola, na saída e no ponto de ônibus”, diz Ari Oliveira da Silva.
O uniforme distribuído gratuitamente pelo governo de Mato Grosso do Sul aos estudantes da Rede Estadual de Ensino é unanimidade: oferece conforto, economia e segurança, como confirma Silvana Vieira Pereira, mãe de Letícia, estudante do 5º ano do ensino fundamental da EE José Mamede de Aquino. “A entrega de uniformes é muito importante. Muitos pais não têm condições de comprar ou dispor de uma roupa diferente para os filhos frequentarem às aulas todos os dias”. João Victor Souza Mourão, da EE Dolor Ferreira de Andrade também aprova: “Acho muito bonita essa camiseta, com um azul de destaque”.

“Queremos que o nosso estudante tenha orgulho de ser sul-mato-grossense, por isso a cor escolhida foi o azul, que representa o céu da esperança, sentimento que é sempre lembrado quando falamos de nossas crianças e jovens. As linhas brancas remetem à amizade e a paz que devem sempre estar presentes nas escolas. Por fim, a estampa da bandeira de Mato Grosso do Sul, que valoriza a tradição e representa a força conjunta de toda a população de um Estado”, finaliza a Profª Nilene Badeca.